Amaru Mayu Budgerigars Exhibition

A Nossa História

Um dia também fomos iniciantes na criação de periquitos australianos. Como a maioria daqueles que desejam ingressar no hobby, as dúvidas eram muitas. Imediatamente, buscamos informações na internet, muitas sem qualquer base técnica e outras conflitantes. Então, adquirimos livros (alguns em outras línguas), mas nenhum deles se dedicava ao passo a passo da criação. Decidimos, portanto, conversar com criadores, o que resultou em alguns conhecimentos teóricos.

Embora o nosso desejo fosse adquirir o mais brevemente possível os primeiros casais de periquitos de exposição (também chamados de “ingleses” ou modernos), a ausência de conhecimentos nos impediu. Não nos pareceu racional dar o primeiro passo com um grande investimento. Assim, optamos por periquitos originais, os famosos “pindorguinhas”. Certamente eles seriam os nossos “mestres” na arte de criar.

POAS

Fotos de alguns exemplares da época.

Como a primeira coisa que um iniciante enxerga em um periquito australiano é a cor, compramos diversos casais. Naquele tempo – e isso aconteceu no final de 2005 – era quase impossível distinguir o que hoje entendemos como óbvio, como as linhagens e mutações. A falta de experiência era tamanha que ficamos com medo de não perceber nem mesmo sinais de problemas de saúde em nosso plantel. Por isso, buscamos orientação com um médico veterinário especializado em aves, que nos orientou sobre essa questão e a importância de estar atento, além da necessidade do criadouro ter em suas instalações uma pequena farmácia com medicamentos específicos. Por sorte (e tanta dedicação) jamais perdemos um único periquito que não fosse por velhice. E, assim, aos poucos, os “pindorguinhas” foram nos contando histórias de erros e acertos e nos ensinando mais e mais sobre linhagens, cores, mutações, manejo, saúde, alimentação, determinação do sexo, distinção entre filhote e adulto, procriação, colocação da anilha, genética, enfim. Eles abriram caminho para que, finalmente, 2 anos depois, o criadouro adquirisse os primeiros casais de periquitos de exposição.

Com base nisso, incluímos em nosso blog um pouco do que aprendemos sobre a criação de periquitos australianos. Esperamos que as informações sirvam para facilitar o dia a dia dos novos e futuros criadores. Para saber mais, envie-nos sua pergunta por e-mail (clique em CONTATO).

england

Our History

One day we were also beginners in the creation of Australian budgerigars. Like most of those who wish to join the hobby, doubts were many. Immediately, we seek information on the Internet, many without any technical basis and other conflicting. So, we bought books (some in other languages), but none of them was dedicated to the step by step creation. We therefore decided to talk to breeders, which resulted in some theoretical knowledge.

While our desire is to acquire as soon as possible the first couple of budgerigars exposure (also called “English” or Modern), lack of knowledge hindered us. Did not seem rational to take the first step with a large investment. We therefore chose original parakeets, the famous “pindorguinhas”. Surely they would be our “masters” in the art of creating.

As the first thing a beginner sees in an Australian parakeet is the color, bought several couples. At that time – and this happened in late 2005 – it was almost impossible to distinguish what we today understand as obvious as the strains and mutations. The lack of experience was such that we were afraid not even notice signs of health problems in our squad. Therefore, we seek guidance from a specialized veterinarian in poultry, which guided us on this issue and the importance of being aware, beyond the need for breeding on their premises have a small pharmacy with specific drugs. Luckily (and such dedication) never lost a single parakeet that was not due to age. And so, gradually, the “pindorguinhas” were telling us stories of successes and failures, and teaching us more and more about lines, colors, mutations, management, health, food, sex determination, distinction between puppy and adult, breeding, placing the washer, genetics, anyway. They paved the way for that, finally, two years later, acquired the first breeding pairs of budgies exposure.

Based on this, we include in our blog rather than learn about the creation of Australian budgerigas. We hope the information will serve to facilitate the day to day of the new and upcoming designers. To know more, send us your inquiry by email (click CONTACT).

bandeira-da-espanha-2

Nuestra Historia

Un día estábamos también los principiantes en la creación de periquitos australianos. Como la mayoría de los que desean unirse a la afición, las dudas eran muchas. Inmediatamente, buscamos información en Internet, muchos de ellos sin ninguna base técnica y de otro conflicto. Así, compramos libros(algunos en otros idiomas), pero ninguno de ellos se dedicó a la creación paso a paso. Por tanto, decidimos hablar con los criadores, que se tradujo en un cierto conocimiento teórico.

Aunque nuestro deseo es adquirir lo antes posible la primera pareja de periquitos exposición (también llamado Inglés” o moderno), la falta de conocimiento nos lo impidió. No parece racional para dar el primer paso con una gran inversión. Por lo tanto, elegimos periquitos originales, los famosos “pindorguinhas”. Seguramente serían nuestros “maestros” en el arte de crear.

Como lo primero que un principiante ve en un periquito australiano es el color, compró varias parejas.En ese momento y esto ocurrió a finales de 2005 que era casi imposible distinguir lo que hoyentendemos tan evidente como las cepas y mutaciones. La falta de experiencia fue tal que tuvimos miedo ni siquiera notar signos de problemas de salud en nuestra escuadra. Por lo tanto, buscamos la guía de un veterinario especializado en aves de corral, lo que nos ha guiado en este tema y la importancia de ser conscientes, más allá de la necesidad de la cría en sus instalaciones tienen una pequeña farmacia con medicamentos específicos. Por suerte (y tanta dedicación) nunca perdió un soloperico que no era debido a la edad. Y así, poco a poco, los “pindorguinhas” se nos cuentan historiasde éxitos y fracasos, y nos enseña más y más acerca de las líneas, los colores, las mutaciones, la gestión, la salud, la alimentación, la determinación del sexo, la distinción entre cachorro y adulto, de cría, colocación de la lavadora, la genética, de todos modos. Ellos abrieron el camino para que,finalmente, dos años más tarde, adquirió las primeras parejas reproductoras de la exposiciónperiquitos.

En base a esto, incluimos en nuestro blog en lugar de aprender acerca de la creación de periquitosaustralianos. Esperamos que la información servirá para facilitar el día a día de los nuevos y futurosdiseñadores. Para saber más, envíenos su consulta por correo electrónico (haga clic en Contacto).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s